Postagens Recentes

Ado-a-Ado, cada um no seu quadrado!

By 10:55 , , , ,

Fonte da imagem: Google Imagens


Início de namoro, aquele grude, mil maravilhas, vocês não querem se separar.
Algum tempo depois a fase melosa se encerra, vocês às vezes preferem fazer outras coisas, separados, do que ficar agarrados o tempo todo.
Quando você mora junto, às vezes você quer matar seu parceiro só pra ter um tempo sozinho.
Mas afinal de contas, o relacionamento esfriou? Eu sou o problema? Será que ele não me ama mais como antes? Será que tem outra?!?

Nada disso meninas, nada de se descabelar ou stalkear o coitado.
E digo meninas, porque sei que na maior parte dos casos o lado carente de atenção da relação é a mulher, é da nossa natureza querer ser mimada, embora existam exceções. E como se não bastasse isso, mulheres é que tem o hábito de tentar caçar os problemas, às vezes onde eles não existem. Ciúmes... Oh ciúmes...
Mas voltando ao ponto, esse distanciamento é sinal de algo ruim?

Eu sempre fui o tipo de pessoa pessimista, ao extremo. Sempre me menosprezei, e ao menor sinal de atitude diferente no relacionamento, eu já achava que tinha feito algo errado. Às vezes ainda passo por isso, mas bem raramente. Felizmente encontrei um homem maravilhoso e compreensivo, que me ensinou a mais importante lição do relacionamento: a conversa.
No começo do nosso namoro nos falávamos o dia todo. Eu até digitava sms no celular sem ver, daqueles com teclas mesmo, sem ter touch. Ganhei apelidos na escola técnica por causa disso.
Conforme o tempo passou, esse ritmo de conversa diminuiu. Eram sempre as mesmas coisas: "Como foi seu dia?", "Bom dia, te amo", "Boa noite, te amo", e por ai vai.
Como boa pessimista que era, e como morava em outro estado e só o via uma vez ao mês, já comecei a me sentir mal. Não por desconfiar de uma traição, pelo contrário. Meu medo maior era que aquela paixão estivesse diminuindo. E eu, extremamente carente como sempre fui, e quem me conhece sabe disso (risos), já entrei em pânico.
Perguntei diversas vezes se havia algo de errado, o que estava acontecendo... Até que um dia ele resolveu entender meu medo, e me explicar, numa boa o que havia acontecido: nada.
Meu namorado é o tipo de cara que prefere conversar pra não dar briga, tanto é que raramente brigamos de fato, se é que alguma vez o fizemos. Óbvio que pequenas birras e caras feias não contam, sou especialista em fechar a cara por nada. Mas nunca acumulamos algo ao ponto de ter aquelas dr's feias, de gritar, e xingar, e ameaçar separar.
Antes de chegar nesse ponto ele sempre buscou conversar comigo, tentar entender, me explicar principalmente. E foi ai que eu aprendi algo sobre os homens, que hoje é o segredo pra não enjoarmos um do outro, mesmo morando juntos. Eles precisam de espaço. Nossa natureza é querer estar junto, mas algumas pessoas, inclusive mulheres, gostam de estar sozinhas.
Não o tempo todo, lógico, mas às vezes é bom curtir o silêncio, certo?
Quando um cara pede espaço, nem sempre ele quer um tempo pra sair pegando outras mulheres, como quase sempre pensamos. Pode ser que ele queira exatamente isso, espaço, pra curtir o tempo dele, fazer as atividades que sempre fez sozinho, como jogar video-game ou tocar um instrumento, por exemplo.
Da mesma forma, no dia em que você desejar seu espaço, ele deve respeitar. Num relacionamento o casal se torna um, o que não anula a individualidade dos dois, e quando alguém não entende isso, acaba criando a sensação de que um enjoou do outro.

Pare agora e pense: não é gostoso quando vocês ficam um tempo, mesmo que curto, sem se falar? Logo que se veem de novo bate aquela saudadezinha, não é?
Mesmo morando juntos isso acontece. Não passo o dia todo com meu namorado, e sempre que nos encontramos, a primeira coisa que ele faz é vir me abraçar, cutucar, incomodar... Mesmo que meio segundo depois ele vá pegar uma das guitarras e se fechar no mundo de música dele (que eu amo), ele sempre vem me abraçar e falar comigo antes. E quando ele quer ficar na dele, eu simplesmente deixo. Primeiro porque aprendi que ele gosta de ter o espaço dele, segundo porque é bom até pra mim. Ter meu tempo pra pensar, fazer outras coisas.
É literalmente cada um no seu quadrado, no seu momento.
Aprender a respeitar isso é um dos segredos da vida à dois. As duas coisas mais importantes que aprendi com meu namorado foram resolver problemas conversando, antes que virem bola de neve, e que ele precisa de espaço, de um tempo pra ele.

E aqui termina o post de hoje, deixando como lição respeitar o espaço do outro, e acima de tudo, conversar. Conversas resolvem tudo. Mas conversas na hora certa, adiar só gera mais problemas, viu?

Se quiserem saber mais, curtam a page do facebook, mandem mensagens, comentem, mandem sinalzinho de fumaça ou o que puder, nós responderemos :)

Beijinhos e até a próxima o/

Você também vai gostar de:

0 comentários