Postagens Recentes

HDL e LDL, qual a diferença?

By 10:02 , , , , , , , , , , ,


Fala galera! Tudo okays desse lado aí?
Hoje resolvi trazer um assunto deveras importante pra vocês, e motivada por questões pessoais.
Em Maio/2014 meu pai, um cara que eu amo muito, e que eu admiro muito também, sofreu um infarto.
Por pouco ele sobreviveu, a coisa foi bem feia a nível da própria cardiologista que o atendeu não acreditar, e enfim, foi um susto que eu não quero nunca mais na minha vida.
Durante a angioplastia, cirurgia para colocar o stent (molinha que "força" a artéria a permanecer aberta), descobriram que três artérias importantes estavam mais do que entupidas. Meu pai, no alto de seus 54 anos, obeso e fumante desde sempre, era o candidato perfeito para um problema desse tipo.
Mesmo embora algumas pessoas tenham predisposição genética para problemas cardiovasculares, de diversos tipos, o caso do meu pai não era de genética, e sim de falta de cuidado com a própria saúde. Alimentação irregular, sedentarismo e tabagismo por toda a vida contribuíram para o entupimento dessas artérias.
Muitas pessoas passam boa parte da vida ignorando as recomendações médicas, por achar que se tratam de besteira, outras sequer sabem o que faz ou não mal, e esse somatório de coisas só vem contribuindo para reduzir a expectativa média de vida do ser humano.
Depois desse episódio com meu pai, eu passei a entender, e buscar aprender um pouco mais sobre os riscos, o que causa ou agrava problemas cardiovasculares e etc.
Durante uma das minhas pesquisas, eu encontrei algo bem interessante, uma explicação sobre os tipos diferentes de colesterol, os chamados colesterol bom e colesterol ruim.
Eu mesma já tinha ouvido falar, mas não sabia qual era qual, onde cada um era encontrado e etc. E eu sei que tem muita gente por ai que também não faz a menor ideia, e muito menos controla os níveis.
Pra explicar de forma bem simples, o colesterol é um tipo de gordura importante para o nosso organismo. Ele tem funções bem variadas, desde estruturar a parede das células à produção de diversos hormônios.
Colesterol em excesso no corpo causa aterosclerose, que é o acúmulo de placas de gordura nas artérias, o que ao longo dos anos só vai aumentando, e dificultando cada vez mais a passagem do sangue por elas. Além disso, o excesso de colesterol também está associado à doenças coronarianas, infarto, avc (acidente vascular cerebral), e à possibilidade de gerar acúmulo nas articulações, manchas amareladas ao redor dos olhos, chamado de xantelasma, e descoloração branca ao redor da córnea, chamado de arco senil.

Sabe nas tabelas nutricionais dos alimentos que sempre vem escrito "gorduras saturadas"? Então, o consumo excessivo delas está ligado ao aumento do colesterol total no organismo, que é a soma do HDL, o colesterol bom, com o LDL, o colesterol ruim.
O HDL, o cara manero da história, é encontrado em alimentos de origem vegetal, como grãos, raízes, tubérculos, legumes e etc, e é responsável pelo transporte do excesso de colesterol da circulação e dos tecidos para fígado, para ser eliminado e impedir o seu acúmulo nos órgãos e nas paredes dos vasos sanguíneos, evitando assim o surgimento de doenças cardiovasculares, como a aterosclerose.
Já o LDL, o cara malvado da história, é encontrado em alimentos de origem animal, como carnes/ovos/leite e seus derivados/, alguns alimentos de origem vegetal, como óleo de palma e a gordura do cacau e em alimentos ultraprocessados, como biscoitos/salgadinhos/bolos prontos/sorvetes/embutidos (salsicha, comida congelada, presunto, mortadela e etc).
Ele é responsável pelo caminho inverso, ele carrega o colesterol do fígado para as células e órgãos, aumentando o risco de acúmulo de colesterol nesses locais, causando doenças cardiovasculares, se sua quantidade for excessiva e desbalanceada em relação ao HDL.
Além disso, os alimentos industrializados possuem também as gorduras trans, cujo consumo está ligado ao aumento do colesterol total e do LDL, bem como a redução do HDL.


A Pesquisa Nacional de Saúde, parceria entre o Ministério da Saúde, a Fiocruz e o IBGE, mostra que 57,4 milhões de brasileiros têm pelo menos uma doença crônica não transmissível, como hipertensão e alta taxa de colesterol, que estão ligadas a fatores de risco como tabagismo, consumo excessivo de álcool, excesso de peso, níveis elevados de colesterol, baixo consumo de frutas e verduras e sedentarismo.


É sempre bom controlar os níveis de colesterol no corpo, em especial na fase adulta. Quanto maior o nível de HDL no sangue, menor o risco de excesso de colesterol e de doenças ateroscleróticas.
Entretanto, não se deixe enganar acreditando que apenas pessoas acima do peso tem riscos de excesso de colesterol sanguíneo. É fato que a obesidade é um dos fatores de risco, entretanto, pessoas magras também podem ter colesterol alto. Porém, com alimentação saudável e equilibrada, associada à prática de exercícios físicos, essa situação é passível de mudança, pois além de ajudar a controlar o peso, é possível manter o colesterol dentro dos níveis recomendados.








Se alimentando de forma equilibrada, consumindo de forma moderada alimentos como óleos vegetais (óleo de soja e azeite de oliva), peixes, nozes e castanhas, que apresentam grandes níveis de gordura insaturada, é possível reduzir o colesterol total e o LDL, e aumentar o HDL, contribuindo para uma vida mais saudável e livre de doenças cardiovasculares.

Dessa forma, é possível evitar sustos como o que eu tive, e manter uma vida tranquila, sem maiores dores de cabeça :)

Para mais informações sobre o assunto, vai lá no Blog da Saúde, minha fonte para esse post.
Para outros assuntos, corre lá na página do facebook e curte, sempre tem coisas novas por lá :)

Beijos, e até a próxima o//

Você também vai gostar de:

0 comentários