Postagens Recentes

A amamentação nos primeiros dias do bebe

By 10:00 , , , , , , ,



Depois do sucesso do primeiro post da nova série sobre amamentação, continuamos falando sobre os primeiros dias do bebe, agora em casa.
Se a mãe sai da maternidade sem ter a amamentação já estabelecida as dificuldades podem aumentar e muito principalmente se somada a informações erradas e duvidas da nova mãe, para ajudá-la vamos esclarecer algumas duvidas, revelar alguns mitos e auxiliar sobre o assunto.

A PEGA CORRETA
muito se fala da necessidade do bebe mamar, mas pouco se fala sobre a forma correta que ele precisa abocanhar o seio. Apesar da amamentação ser em boa parte instintiva é preciso também aprendizado para que tudo flua de forma harmoniosa, muitos bebes precisam aprender a mamar. Para ensiná-los existem diversas técnicas, como a de segurar o mamilo com os dedos e inseri-lo na boca do bebe para que ele abocanhe a maior parte da auréola.
A pega incorreta pode causar vários problemas que somados podem dificultar ainda mais a amamentação, como fissuras no mamilo ocasionadas pela fricção excessiva e até o baixo ganho de peso do bebe, tudo pode se resolver com a correção da pega, para encontrar auxílio a mãe deve procurar bancos de leite, consultoras de amamentação ou fonoaudiólogas que trabalhem com amamentação, além de auxiliar com a correção da pega esses profissionais são aptos à tirar duvidas e esclarecer mitos a respeito da amamentação.

APOIO
Que pitacos e opiniões alheias incomodam não deve ser nenhuma novidade para a recém mamãe, mas palpites e comentários negativos podem dificultar ainda mais a amamentação, levando à complementação e desmame precoce. As visitas devem se limitar à palavras de incentivo e auxílio, buscando sempre deixar a mamãe o mais à vontade possível, afinal essa fase inicial de adaptação é essencial para ela e para o bebe. À mãe cabe se afastar de pessoas negativas e até explicar sobre o quanto às palavras interferem, se se sentir insegura ou com dúvidas, vale buscar apoio em outros lugares.

EVITAR A TENTAÇÃO
Quando as dificuldades com a amamentação chegam e o desespero toma conta logo bate a tentação de oferecer chupetas, mamadeiras ou usar bicos de silicone para amamentar, o problema é que além de não solucionar o problema esses aparatos podem dificultar ainda mais a amamentação, por isso é sempre recomendado não comprar nenhum acessório desse tipo antes do bebe nascer, esse acesso dificultado evita o uso desses itens.

TRATANDO AS FISSURAS
Muito se fala de seios machucados pela amamentação e não há preparo prévio que possa evitar as temíveis rachaduras (alguns "preparos" inclusive lesionam mais ainda o seio, leia aqui). Quando elas surgem são basicamente devido à pega incorreta, exceto em alguns casos onde a mãe possui maior sensibilidade nas auréolas. Se os seios racharam ou sente-se algum incômodo é necessário corrigir a pega do bebe para que novas lesões não surjam, pomadas de lanolina embora ajudem na cicatrização devem ser removidas antes de amamentar (mesmo que o fabricante indique o contrário) pois sua consistência torna o seio escorregadio dificultando ainda mais a pega correta. O uso de conchas de amamentação também não é recomendado pois proporcionam ambiente propício à proliferação de fungos (quente e úmido) e uma vez que o leite contaminado das conchas entre em contato com o bico dos seios pode ocorrer uma infecção bacteriana nos ductos mamários, o que oferece risco para a mãe e para o bebe. O ideal é que o tratamento das fissuras mamárias seja realizado com a aplicação do próprio leite na auréola e banhos de sol frequentes (antes das 10h ou depois das 16h), para evitar atrito com o sutiã pode-se suspender seu uso por um ou dois dias.

O BEBE QUE MAMA DEMAIS
Muito se fala de bebes que mamam muito (de hora em hora) e por muito tempo (ficam até duas horas ou mais no seio), diz-se do leite que não sustenta ou do pouco leite. Entretanto é preciso compreender que isso é totalmente comum e natural, e há duas explicações para isso: primeiro, o estômago do bebe é muito pequeno (vide imagem a baixo) e sua digestão muito acelerada, por conta desse conjunto de fatores é natural que o bebe mame em intervalos curtos. Segundo: a necessidade do bebe não se resume à alimentação, é preciso compreender que o bebe acabou de sair de  ambiente limitado e controlado, úmido e escuro, onde todas as suas necessidades eram atendidas imediatamente, então tudo para ele é muito estranho e assustador e a única referência que ele tem é a mãe, durante a amamentação o bebe está em contato constante com o calor da mãe, ouvindo seu coração e com suas respirações sincronizadas, ou seja o seio passa segurança para o bebe, lembre-se que nem todo choro é de fome e é necessário suprir a necessidade emocional do bebe, nesses casos o sling (principalmente o modelo wrap) é um grande aliado, principalmente se a mãe utiliza-lo para estimular o contato pele a pele(a mãe vestir o sling sem blusa e colocar o bebe apenas de fralda, meia e gorro no sling), isso ajuda a acalmar o bebe, criando assim uma criança segura emocionalmente.



BEBES DORMINHOCOS
Enquanto uns bebes mamam demais, outros mamam de menos. Os bebes dorminhocos, que dormem cerca de 4h à 5h horas entre as mamadas são mais comuns éo que se imagina, e é completamente normal que pelo menos nos cinco primeiros dias isso ocorra, é o tempo que o bebe leva para se recuperar do esforço do parto e se habituar ao mundo exterior, regulando sua temperatura corporal. É preciso observar se após o intervalo de sono a mamada é efetiva, caso o bebe adormeça rapidamente, logo no início da mamada é bom utilizar algumas técnicas para.mante-lo acordado, como ir despindo-o aos poucos ou umedecer um chumaço de algodão e passar na planta do pé, mexers nas orelhinhas, cabelo e nariz também funciona, enfim, tentar prolongar a mamada ao máximo para que o bebe possa se beneficiar do leite gordo de fim de mamada. Na primeira consulta deve-se observar o ganho de peso e se ele for relativamente baixo entrar com métodos de ganho de peso, como a ordenha pré mamada, observando-se nos meses seguintes, caso o baixo ganho persista, encontrar sua origem e se preciso em conjunto com um gastro pediatra ou nutricionista infantil, complementar com leite artificial.


Bom meninas, por hoje é só, semana que vem tem mais, no próximo post vamos falar sobre baixo ganho de peso do bebe e contaremos com um relato lindo de superação. Beijos e até mais.

Você também vai gostar de:

0 comentários