Postagens Recentes

Uma vida de cada vez, todos nós podemos ajudar

By 16:31 ,



Fala galera! o//

Eu andei meio na dúvida sobre o que falar hoje com vocês, quando lembrei de uma conversa que tive com meu pai, a Sarah e o Rodrigo algumas semanas atrás.
Desde criança eu ouço que uma doação de sangue pode salvar até 4 vidas, e sempre vi meus pais irem doar sangue. Assim como, desde criança, sempre vejo campanhas pedindo doação, porque os estoques estão baixos, em especial para alguns tipos específicos de sangue.

Além disso, não é novidade pra ninguém as correntes de redes sociais.
É um tal de "deixe seu amém para salvar essa criança", entre outros, que chega a incomodar.
E não, não estou reclamando da religiosidade, okay?

Acontece que algumas semanas atrás, meu pai, um cara nem um pouco barraqueiro, e mega incomodado com esse tipo de postagem, em especial porque grande parte é montagem, resolveu se manifestar, mas de forma bem curiosa. Vou colar aqui o que ele fez, pra vocês entenderem:

Lógico que a atitude dele acabou sendo extremista, embora tenha sido de maneira proposital. Mas ler a postagem dele me fez refletir um bocado.
Eu vejo na minha timeline, TODOS OS DIAS, mais de 5 postagens desse gênero. Sempre um "compartilhe pra salvar", "deixe seu amém", entre outros.
As pessoas preferem compartilhar fotos que podem ser fortes, ao invés de efetivamente fazer algo.
Prova disso: dias depois dessa postagem houve um acidente com estudantes da mesma universidade que eu, e estavam pedindo doação de sangue O+ para uma das vítimas, que estava em estado gravíssimo. Compartilharam no grupo da turma, e eu vi uma série de "Ahhh, meu tipo é outro, senão eu doava".
Eu estava indo dormir quando li esses comentários, e acabei sendo grossa e dizendo que nesse caso eles não poderiam ajudar, mas se doassem voluntariamente, poderiam ajudar em muitos outros. Óbvio que muitos se revoltaram com o que eu disse.
E ai eu volto na questão inicial: será que todos nós sabemos a real importância da doação de sangue? Será que doar sangue não pode ajudar mais que digitar um amém?

De acordo com o Ministério da Saúde, são coletadas no Brasil cerca de 3,6 milhões de bolsas/ano, o que corresponde ao índice de 1,8% da população doando.
Esse percentual se encontra dentro dos parâmetros da OMS, porém o Ministério da Saúde luta, todos os anos, para que ele aumente.
Infelizmente existem épocas do ano em que a necessidade de bolsas de sangue aumenta, e é justamente nessas épocas que são feitas as campanhas, afinal, cada bolsa usada precisa ser reposta, certo?

Para incentivar a doação, o Ministério da Saúde diminuiu a idade idade mínima e aumentou a idade máxima. Atualmente o mínimo é 16 anos completos, sendo que dos 16 aos 18 é preciso ter o consentimento assinado pelos responsáveis, e a idade máxima é 69 anos.
Fora isso, doadores voluntários têm vantagens em alguns estados, como São Paulo e Distrito Federal, por exemplo.

Uma bolsa de sangue doado pode sim salvar até 4 vidas diferentes. E a doação não chega a durar nem uma hora. Não te prejudica, não te causa sofrimento.
Justamente para assegurar a segurança do doador, algumas regras devem ser seguidas na hora de doar, e foram definidas pelo MS.

Para doar é necessário:
- Levar documento oficial com foto
- Estar bem de saúde
- Ter entre 16 anos e 69 anos
- Pesar mais de 50kg
- Não estar em jejum, e evitar alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação.

Recomendações para o dia da doação:
- Nunca doar sangue em jejum
- Fazer repouso mínimo de seis horas no dia anterior à doação
- Não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas que antecedem a doação
- Evitar fumar nas 2 duas que antecedem a doação
- Evitar ingerir alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação
- Pessoas que exercem funções como: pilotar avião ou helicóptero, conduzir ônibus ou caminhões de grande porte, subir em andaimes ou praticar paraquedismo ou mergulho devem interromper essas atividades 12 horas antes da doação.

Mulheres podem doar até 3 vezes ao ano, a cada 4 meses, e homens podem doar até 4 vezes ao ano, a cada 3 meses.

Cuidados pós-doação:
- Evitar esforço físico exagerado por pelo menos12 horas após a doação
- Aumentar a ingestão de líquidos
- Não fumar por cerca de duas horas
- Evitar bebidas alcoólicas por pelo menos 12 horas
- Manter o curativo no lugar por pelo menos 4 horas
- Não dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes, praticar paraquedismo ou mergulho

Quem não pode doar:
- Pessoas com diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade
- Mulheres grávidas ou amamentando
- Pessoas expostas à doenças transmissíveis pelo sangue, como AIDS, hepatite, sífilis e doença de Chagas
- Usuários de drogas
- Pessoas que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativos

Cirurgias e outros impedimentos e seus prazos:
- Extração dentária: 72 horas
- Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: 3 meses
- Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem seqüelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses
- Ingestão de bebida alcoólica: 1 dia
- Transfusão de sangue: 1 ano
- Tatuagem: 1 ano
- Vacina: o tempo varia de acordo com o tipo de vacina.

Dito isto, seja um doador!
Pense em quantas vidas você pode salvar, quantas pessoas poderão dormir uma noite a mais, porque você ajudou.
Procure o hemocentro mais próximo de você, e se informe melhor!

Faça como nós, Equipe Gina Regina: doe sangue, salve vidas.
Por hoje é só, pensem com amor e carinho nesse post. Organizem campanha de doação na cidade de vocês, levem seus amigos, parentes. Doar sangue faz bem, eu garanto <3

Beijos, e até à próxima!


Fonte: Blog da Saúde


Você também vai gostar de:

0 comentários